central de agendamento

16 3514 0700  

16 99745 1338

16 99745 1338

Notícias » Ultrassom 4D na MED

« VOLTAR


20/03/2019

Disponível na MED − Medicina Diagnóstica, o ultrassom com imagem 4D possibilita uma análise mais detalhada do bebê, ao mesmo tempo em que transmite mais emoção aos pais. Nossa especialista em ultrassonografia,  Renata Silva  (CRM/SP 73909) , fala sobre o novo exame disponível na MED: o ultrassom 4D.

Renata Silva  (CRM/SP 73909): - O surgimento do ultrassom 4D revolucionou a maneira de acompanhar a gravidez, já que tornou mais nítidas as imagens do bebê. A diferença principal entre o ultrassom convencional e o 4D encontra-se no tempo entre  a aquisição da imagem no modo bidimensional convencional e a reconstrução tridimensional, realizada pelo software dos aparelhos que estão processando a imagem. No equipamento 4D, essa aquisição é mais rápida e com melhor qualidade da resolução da imagem.

O ultrassom 4D pode ser realizado durante toda a gestação − algumas mamães montam até um book de todos os momentos da gravidez. Porém, uma das melhores fases para conseguir imagens do rostinho do bebê é entre a 26ª e a 30ª semanas de gestação. A partir dessa fase, o exame pode ficar prejudicado em função da posição fetal.

O 4D também é indicado com finalidades médicas para observação mais detalhada de alguma superfície fetal ou  em caso de suspeita de alguma alteração morfológica, a exemplo de fissuras labiais, alterações de coluna vertebral, entre outros.

As imagens podem ser impressas ou arquivadas em equipamentos digitais, de acordo com a preferência dos pais. Mas como todo exame de imagem, o ultrassom 4D apresenta alguns fatores limitadores, entre os quais a idade  gestacional muito tardia, a posição fetal, a quantidade de líquido amniótico e o tecido subcutâneo materno. Essas características podem influenciar na nitidez das imagens.

Fonte: